• Pesquisa
  • Carrinho
  • Pesquisa
  • Carrinho
Procurar apenas nos Produtos
TAGS / ETIQUETAS
ComputadorGPSSmartphonesTelemóveisJoysticks e outros comandosAuriculares BluetoothAuscultadores Wireless

Perguntas frequentes

  • Home
  • Perguntas frequentes

Perguntas frequentes


CAMPO ELÉTRICO. CAMPO MAGNÉTICO, CAMPO ELETROMAGNÉTICO
Invisível e imaterial um campo eletromagnético é criado a partir de um campo elétrico e de um campo magnético. Na maioria das vezes, estes dois campos alternam-se, isto é, oscilam em permanência. Como todas as ondas, os campos eletromagnéticos propagam­-se pelo espaço.

As ondas eletromagnéticas ao serviço da tecnologia
Os campos de aplicação das ondas eletromagnéticas são muito vastos e as nossas tecnologias modernas recorreram regularmente a elas para, entre outras, transportar informações. A eletrónica aprendeu a gerir a sua amplitude, isto é, a intensidade com a qual aquelas são emitidas, e a sua frequência, o número de oscilações que efetuam em cada segundo, para distinguir uma emissão de outra e fazê-la transportar informações. A rádio, a televisão, a telefonia móvel, o Win, e outros sistemas de telecomunicações fundem-­se sobre este princípio. Geralmente, são as frequências altas que são reservadas para esse efeito. Falamos, aliás, das radio frequências para as associar à noção de transmissão. Para os campos de frequências extremamente baixas, tais como os gerados pelas linhas elétricas, o campo elétrico e o campo magnético são independentes e agem de forma distinta.

O campo elétrico está ligado às cargas
Um campo elétrico está associado à presença de uma tensão. Por exemplo, uma tomada de 220 volts gera um campo elétrico no seu ambiente imediato. Se ligarmos uma lâmpada a esta tomada, esta ficará igualmente sob tensão e criará em seu redor um campo elétrico, mesmo se estiver desligada. O seu valor é proporcional, por um lado, à tensão (expressa em volts) e, por outro, a distância da fonte do campo (expressa em metros). Por isso é natural que anotemos o calor de um campo elétrico em volts por metros (V/m). Esta unidade deixa-nos pressentir que quanto mais elevada é a tensão e menor a distancia, mais o campo elétrico aumenta.

...o campo elétrico depende do seu movimento
O campo magnético, par seu turno, é diretamente produzido pela corrente. Dito de outro modo, pela deslocação das cargas elétricas. Se não circular qualquer corrente, como no caso anterior, não se cria um campo magnético e a nossa lâmpada desligada, não irá gerar qualquer campo magnético. Por outro lado, desde que esteja acesa, a corrente circula pelo fio que a liga à tomada, no seu filamento, etc. Estamos perante uma deslocação de eletrões, que geram um campo magnético. Este campo é proporcional à intensidade de corrente existente, expressa em amperes e, como para o campo elétrico, inversamente proporcional à distância. A sua unidade será, portanto, o ampere por metro, conhecido como A/m.
Note-se que este é muitas vezes preferido à unidade de fluxo de indução magnética: o tesla e, sobretudo, a sua subdivisão, microtesla conhecido como pT.

Quais são os aparelhos que produzem estas ondas eletromagnéticas?
Todos os aparelhos elétricos, como os televisores, as consolas de jogo, as placas de indução elétrica, os micro-ondas, os telefones sem fios, os Baby-phone, os telefones portáteis, o smartphone, walkie-talkie, antenas retransmissoras de telefonia de RFM ou de televisão, dispositivos de identificação por radiofrequência RFID, os tablets, os computadores fixos e portáteis, os GPS, a domótica, os routers, o WIFI, WIMAX, tecnologia bluetooth, as antenas radar para barcos e aviões, as antenas de telhado ou parabólicas, veículos híbridos ou elétricos etc, etc, produzem ondas eletromagnéticas suscetíveis de perturbar o bem estar humano.

Uma vez que se trata de um problema de saúde pública, existe legislação?
A nova diretiva 2013/35/UE retoma substantivamente as obrigações do empregador, tal como eram descritas na diretiva anterior (obrigação de avaliar o nível de exposição. implementação de disposições com vista a evitar ou reduzir os riscos, informação e formação dos trabalhadores), mas introduz modificações sobre os valores limite de exposição e os valores relativos a ações de prevenção. Por fim, impõe aos estados membro a sua transposição para a legislação nacional ate ao dia 1 de Julho de 2016.
A França foi o primeiro país a adotar uma legislação sobre este tema, uma lei votada no parlamento, a 10 de Fevereiro de 2015, para limitar a exposição às ondas eletromagnéticas.

Qual a tecnologia utilizada pela LifeMaxx ?
A tecnologia Life-Maxx é um compensador de ondas eletromagnéticas que tem como efeito compensar uma onda, criando uma nova onda em contraciclo. Esta técnica, designada pela Física como multidesfasamento, é executada com a ajuda de micro-antenas ligadas em cede e capazes de captar todas as frequências de ondas poluidoras. Utilizando o principio físico do multidesfasamento e graças às antenas muito finas que utilizam o mesmo principio, a tecnologia Life-Maxx produz permanentemente ondas idênticas às ondas produzidas pelos aparelhos poluentes.
A tecnologia LifeMaxx tem um dispositivo composto por uma série de antenas em multicamadas, concebidas para captar as ondas eletromagnéticas poluentes, com o objetivo de obter o seu desfasamento, afim de obter a melhor performance possível de compensação.
Esta tecnologia de compensação eletromagnética permite limitar os efeitos indesejáveis sobre o biológico e o térmico sem que, por isso, se modifique a qualidade de emissão/receção da fonte.


  • Partilhar: