• Pesquisa
  • Carrinho
  • Pesquisa
  • Carrinho
Procurar apenas nos Produtos
TAGS / ETIQUETAS
ComputadorGPSSmartphonesTelemóveisJoysticks e outros comandosAuriculares BluetoothAuscultadores Wireless

Riscos para a saúde

  • Home
  • Riscos para a saúde

Riscos para a saúde

Proteja-se contra os efeitos biológicos e térmicos

ELETROSMOG
No nosso mundo, sempre mais conectado, e com a chegada de objetos conectados, a poluição eletromagnética atinge-nos, noite e dia, no nosso ambiente quotidiano.

GSM, smartphones, portáteis, computador, micro-ondas, GPS, todas as tecnologias sem fios: Wifi, Bluetooth, aparelhos eletrodomésticos, tantos objetos de trabalho e de lazer que geram uma neblina eletromagnética invisível que atravessa o corpo e na qual mergulhamos cada vez mais.
O seu nome:  "Electrosmog".

UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA
Segundo a União Internacional das Telecomunicações, em 2017, foram recenseadas 7.3 mil milhares de assinaturas de telefones móveis no mundo. Segundo as estimativas, em 2020 existirão mais de 100 mil milhões de objetos conectados que irão gerar mais de 100 mil milhões de Go.
Ainda que o bom senso nos incite a limitar o seu uso quotidiano, o facto de estarmos expostos, ou mesmo sobre-expostos, a ondas eletromagnéticas, tornou-se uma questão de saúde pública.
Segundo a sensibilidade das pessoas, a intensidade do campo, o tempo de exposição ou o momento de exposição (dia ou noite), as ondas, mesmo de baixa frequência, desequilibram o nosso organismo, agravando a fadiga, o stress e afetando negativamente a nossa energia.
Os problemas que se fazem sentir com frequência são:

  • Zumbido nos ouvidos (tinnitus);
  • Insónias e distúrbios de sono;
  • Perturbações da concentração;
  • Dificuldade em memorizar;
  • Fadiga crónica;
  • Dores de cabeça;
  • Dores oculares;
  • Depressões;
  • Perturbações do sistema imunitário.


ELETROSMOG - COMO SE PROTEGER DAS ONDAS? VIVER MELHOR SEM SE DESCONECTAR

Preocupada com os efeitos causados pelo Eletrosmog sobre o organismo e com vontade de limitar a exposição do organismo a esta poluição, a LifeMaxx, titular de patentes nacionais e internacionais, desenvolveu, após o ano 2000, o multidesfasamento a 180º.
Na sequência das pesquisas desenvolvidas nessa altura, nasce a gama de patchs individuais LifeMaxx, de proteção biológica e térmica.




  • Partilhar: